Bravo! indica

15 a 21 de outubro

NOVO EPISÓDIO DO PODCAST NO AR

Nesta edição nós recebemos o coreógrafo e bailarino Rodrigo Pederneiras, do Grupo Corpo, que no dia 27 estreia – presencialmente, em São Paulo – o espetáculo Primavera. No Papo Cabeça, a escritora Adriana Negreiros nos conta da triste realidade por trás de seu novo livro, A Vida Nunca Mais Será a Mesma. E Helena Bagnoli, Almir de Freitas, Guilherme Werneck e Andrei Reina trazem suas dicas: Tom Zé, Abdulrazak Gurnah, Small Axe, Museu do Pontal, Maria Lira Marques, Noite de Reis, Cia. Os Crespos, Blubell, As Cangaceiras: Guerreiras do Sertão, a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a Mostra Mulheres com Cinema e o Sesc Jazz. Ouça no seu tocador preferido.


AGENDA VIRTUAL

Começa hoje, em formato híbrido, o festival Sesc Jazz, cuja programação de shows nacionais e internacionais, mostra de filmes e atividades de formação se estende até o dia 31. O pianista pernambucano Amaro Freitas abre os trabalhos direto do Sesc Pompeia, diante de plateia presencial reduzida e também em transmissão online.

Na quinta começa a 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que nesse ano exibe 264 filmes de 50 países, incluindo títulos premiados em festivais internacionais, como Titane, de Julia Ducournau, e Annette, de Leos Carax. Mesmo com o retorno de sessões presenciais, 157 obras poderão ser vistas online.

Arvo Volmer e Ricardo Bologna se revezam na regência no concerto da Osesp dessa sexta, com repertório que inclui Ionisation, de Varèse, e Jeu de Cartes, de Stravinsky. Na quinta, a Filarmônica de Minas Gerais recebe o maestro e violinista Claudio Cruz, que interpreta o Concerto Estrasburgo, de Mozart.

O espetáculo Quando Todas as Folhas Caem, de Ciça Ohno com o Núcleo Fu Bu Myo In, abre hoje o Visões Urbanas, festival de dança que apresenta 18 espetáculos de cinco países, além de mostra de vídeo-dança e oficinas.

Amanhã, o veterano João Donato volta aos palcos pela primeira vez desde a pandemia e se apresenta com trio no Blue Note São Paulo, que transmite o evento.

Para comemorar os 19 anos, o Grupo XIX de Teatro exibe, ao longo de 19 dias, uma mostra digital com alguns de seus principais trabalhos, como Marcha para Zenturo (em parceria com o Grupo Espanca) e Hysteria.

Sara Antunes começa amanhã a temporada online do monólogo Sonhos para Vestir, costurado por cartas que trocou com o pai. A direção é de Vera Holtz.

Na quinta, o compositor Flo Menezes e o filósofo Vladimir Safatle conversam sobre música no lançamento do livro A Potência das Fendas. Realizado pelo Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, o debate será mediado por Andrei Reina, da Bravo!.

No mesmo dia, uma performance de Luz Ribeiro e show de Anelis Assumpção marcam a abertura do Dona Ruth: Festival de Teatro Negro de São Paulo, com transmissão do Itaú Cultural.


ATIVIDADES PRESENCIAIS

A SP-Arte, principal feira de galeristas do país, abre na quarta em novo local e passa a ocupar a ARCA, galpão de 9 mil metros quadrados na Vila Leopoldina. Cerca de 130 expositores estão confirmados, incluindo as galerias Millan, Luisa Strina e Mendes Wood DM. Em formato híbrido, a 17ª edição do evento conta também com viewing room virtual, onde coletivos como o Trovoa e o 01.01 Art Platform exibem trabalhos.

O Sesc 24 de Maio abre hoje a Ocupação Olhares Inspirados: Raquel Trindade, Rainha Kambinda, que homenageia a artista e ativista de Embu das Artes morta em 2018. Amanhã, entre as individuais que abrem em São Paulo, as opções incluem Kilian Glasner no CCBB, Pablo Lobato e Gertrudes Altschul na Luciana Brito Galeria e Gilberto Salvador na Galeria Frente.

Ainda no sábado, o Teatro Alfa inaugura sua temporada presencial com coreografias de Leilane Teles, Cassi Abranches e Goyo Montero encenadas por Inês Bogéa e a São Paulo Cia. de Dança, enquanto, na reabertura do Tuca, o musical As Cangaceiras: Guerreiras do Sertão, de Newton Moreno, volta ao cartaz.

No Rio de Janeiro, A Gentil Carioca recebe, a partir de amanhã, a mostra Aurora Incorpora Cobra Coral, do poeta, músico e artista visual Cabelo.

Nota dos editores: Lembre-se de agendar a visita ou comprar seu ingresso com antecedência, além de utilizar máscaras seguras, conservar distância das outras pessoas e levar álcool em gel. Não se esqueça, também, de verificar se os locais exigem comprovante de vacinação contra a Covid-19 na entrada.


OLENKA ENTRE MIRAGENS

Na coluna da semana, Carlos Castelo escreve sobre a poeta, escritora, jornalista e tradutora Olga Savary, pioneira da poesia erótica no Brasil celebrada em verso por Carlos Drummond de Andrade. Morta em 2020, Savary acaba de ter parte de seus poemas reunidos na antologia Coração Subterrâneo, lançada pela editora Todavia.


LIVROS

Contos de Axé, org. Marcelo Moutinho (Malê)
A coletânea reúne 18 textos, todos inéditos, inspirados no arquétipos dos orixás. Entre os autores convidados estão Fabiana Cozza, Giovana Madalosso, Itamar Vieira Jr., Geovani Martins, Luisa Geisler, Marcelino Freire, Nei Lopes e Eliana Alves Cruz.

As Maiores Novidades: Uma Viagem no Tempo, Marcelo Ferroni (Mapa Lab)
Ficção científica ambientada em ambiente corporativo, a narrativa parte da invenção de um chip quântico para celular que, para perplexidade dos executivos da companhia, é capaz de tirar fotos do passado.

O Amigo Perdido, Hella Haasse (Rua do Sabão)
De 1948, este clássico da literatura holandesa, inédito no Brasil, se passa nas Índias Orientais Holandesas, atual Indonésia, cenário da amizade entre o narrador, um branco europeu, e Oeroeg, seu amigo nativo, da infância à realidade da vida adulta.

A Vida Nunca Mais Será a Mesma, Adriana Negreiros (Objetiva)
Entre o depoimento em primeira pessoa e os relatos de casos ocorridos com outras vítimas, a jornalista e escritora expõe pelo testemunho a cultura do estupro e da violência contra as mulheres no Brasil, nos espaços público e privado.


DISCOS

Música Solar para Tempos Sombrios, Blubell (YB Music)
Esse é um "lisco", um livro que é um disco e vice-versa. O ciclo de canções bem-humoradas, irônicas, faz uma deliciosa fusão de MPB e jazz, com produção de Bel e Luca Raele. As letras têm um quê de crônica, e o livro traz os textos em prosa.

Nebulosa Baby, Giovani Cidreira (Risco)
Podia falar das participações super especiais deste disco, mas o que é especial mesmo é o jeito de compor e de tocar de Cidreira, que a cada lançamento apresenta uma nova faceta, em flertes que vão do trap ao pagodão baiano, sem perder o brilhantismo da canção.

Another Land, Dave Holland (Edition Records)
Depois de liderar grandes grupos, um dos maiores baixistas de jazz vivos volta ao formato de trio, com Kevin Eubanks na guitarra e Obed Calvaire na bateria, e também retorna ao baixo elétrico em algumas faixas. Fora isso, tudo é novo e tem a excelência de sempre.

Pássaros, Gustavo Infante (YB Music)
Uma das coisas mais impressionantes deste disco é o som que o compositor mineiro tira de seu violão de nylon, que é depois esculpido com loops de fita, muito reverb e delay, criando um espaço de sonhos para envolver uma poética que passa por transformações e liberdade.


FILMES

The Velvet Underground, Todd Haynes (Apple TV+)
Exibido em Cannes, o primeiro documentário do diretor de Não Estou Lá intercala entrevistas inéditas e imagens raras de arquivo para contar a história da banda formada por Lou Reed e John Cale na Nova York dos anos 60.

Os Melhores Anos de uma Vida, Claude Lelouch (VOD)
50 anos depois, Jean-Louis Trintignant e Anouk Aimée voltam às lentes de Lelouch para interpretar os personagens do clássico Um Homem, uma Mulher, que se reencontram para lidar com os sentimentos perenes do primeiro romance.


SÉRIES

Succession, Jesse Armstrong (HBO)
Estreia no domingo (17) a terceira temporada da série que acompanha a disputa pela sucessão do patriarca Logan Roy (Brian Cox) no império midiático da família, revolvida em um drama de caráter shakespeariano.

Instituto Voltaire, Marie Roussin (Prime Video)
A produção francesa retrata as consequências da decisão do Liceu Voltaire de integrar meninas às salas de aula em 1963, mudança que impulsionou, ao mesmo tempo, uma revolução no comportamento e reações machistas.