Bravo! indica

8 a 14 de outubro

AGENDA VIRTUAL

Bete Coelho atua e dirige, ao lado de Gabriel Fernandes, em nova produção de A Gaivota, clássico do teatro moderno de Tchékhov adaptado pela Cia. BR116. Apresentado como uma peça-filme, o espetáculo estreia na terça e dá contornos brasileiros à dramaturgia russa.

Alcione, João Bosco, Mônica Salmaso e Joyce Moreno estão entre os artistas que participam hoje de show com o objetivo de arrecadar fundos para a veterana Leny Andrade. A transmissão é do Blue Note São Paulo.

De hoje ao dia 17 acontece, em edição híbrida, o Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco. Outra boa opção para ver filmes é o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, que exibe títulos inéditos até o dia 14.

A Osesp recebe hoje o regente alemão Marc Albrecht para interpretar o poema sinfônico Don Juan, de Richard Strauss, e a Sinfonia em Ré Menor, de César Franck.

Pascoal da Conceição volta a interpretar o autor de Macunaíma em Mário de Andrade Desce aos Infernos, que estreia como peça online amanhã, no aniversário compartilhado pelo ator com o escritor, e segue disponível como websérie.

Entre hoje e domingo, o Itaú Cultural abriga, em seu Palco Virtual, novas produções da Cia. do Quintal, de São Paulo, e do Coletivo Angu de Teatro, de Pernambuco.

Quatro peças do dramaturgo norte-americano Will Eno estreiam nesse fim de semana sob a direção de Fernando Vilela: aos sábados, será exibida Tragédia: Uma Tragédia; aos domingos, a trinca formada por O Técnico, A Porta-Voz e Senhores e Senhoras, a Chuva.

Na segunda, o Museu da Língua Portuguesa lança o curta documental Línguas em Trânsito: Tom Zé, com uma entrevista inédita do compositor que completa 85 anos.

Gravado no Galpão Cine Horto, em Belo Horizonte, o filme A Primeira Perda da Minha Vida marca a estreia do Grupo Galpão no universo infantil. A produção, que estreia na terça, tem roteiro de Eduardo Moreira e direção de Inês Peixoto.

Direto de Piracicaba, no interior paulista, começa na quinta o 9º Festival Curau, que apresenta shows como os de Juçara Marçal e Kiko Dinucci com o Batuque de Umbigada de Capivari e da dupla de rappers Tasha & Tracie. 

No mesmo dia rola o festival de hip hop Estação K, que traz apresentações dos MCs Edgar e Zudizilla, além de dar visibilidade aos outros elementos da cultura, como a discotecagem, o grafite e o breakdance.

A exposição Do Tamanho do Brasil, que oferece uma visão panorâmica dos mais de 30 anos de produção de Manuel Messias, artista sergipano morto em 2001, foi disponibilizada no site da Danielian Galeria.


EXPOSIÇÕES PRESENCIAIS

Em São Paulo, amanhã, a Galeria Millan inaugura a individual Ouroboros Sucuri de Thiago Martins de Melo, enquanto André Komatsu e o coletivo Ali:Leste realizam a performance Corpo Manifesto no octógono da Pinacoteca. Na quarta, o Museu de Arte Brasileira da FAAP abre a coletiva Mbya Reko – Jaraguá é Guarani, com fotografias e pinturas que retratam o modo de vida do povo Guarani Mbya. Na quinta, chega ao galpão do Sesc Pompeia a Fabricação Própria de Lotus Lobo, artista mineira que ganha retrospectiva de seus 60 anos de carreira.

No Rio, o Museu do Pontal reabre nesse sábado em nova sede, numa área de 14 mil metros quadrados próxima ao Bosque da Barra, e apresenta 700 conjuntos de obras, num total de cerca de duas mil peças de arte popular. No mesmo dia, o MAM inaugura uma individual da jovem artista Ana Clara Tito e a coletiva Composições para Tempos Insurgentes, com obras de Tunga, Adriana Varejão e Dalton Paula, entre outros. Por fim, Mariana Saleme ocupa o CCBB com a instalação Apartamento s, composta por mais de mil peças, e exibe obras de pequena dimensão no Mul.ti.plo Espaço Arte.

Nota dos editores: Lembre-se de agendar a visita ou comprar seu ingresso com antecedência, além de utilizar máscaras seguras, conservar distância das outras pessoas e levar álcool em gel. Não se esqueça, também, de verificar se os locais exigem comprovante de vacinação contra a Covid-19 na entrada.


ATELIÊ DO ARTISTA

Em instalações como as que exibe atualmente no MAC USP e na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo, Fernando Limberger procura borrar fronteiras pré-estabelecidas, como entre natural e artificial. Durante visita a seu ateliê, o artista visual e paisagista gaúcho comentou ainda sua pesquisa sobre o cromatismo e o reaproveitamento de materiais coletados, sobretudo sementes, pedras e madeira.


ENTRE HAMLET E O PADEIRO

De volta às plateias, Gabriela Mellão escreve sobre Hamlet 16x8, monólogo atuado por Rogério Bandeira e dirigido por Marco Antônio Rodrigues que se inspira em Augusto Boal. “Bandeira perpassa a faceta padeiro e Hamlet de Boal tecendo a própria trajetória em meio a estas projeções — que também são suas, expressas em um relato coloquial marcado pela devoção ao teatro.”


LIVROS

A Pediatra, Andréa Del Fuego (Companhia das Letras)
Médica que seguiu a carreira do pai, Cecília é uma pediatra que não gosta de crianças. O cenário muda quando começa a perder pacientes para a medicina alternativa, e o filho do homem casado com quem ela se relaciona trará outras novidades.

Salvatierra, Pedro Mairal (Todavia)
Mudo desde os nove anos de idade, o personagem-título passa a vida a pintar secretamente rolos de tela descrevendo seis décadas de acontecimentos na fronteira do Uruguai com a Argentina, deixando para seus herdeiros três quilômetros de memórias pintadas.

Poética da Relação, Édouard Glissant (Bazar do Tempo)
Publicado em 1990, inédito no Brasil, o volume de ensaios do escritor martinicano é o primeiro de um projeto filosófico-poético de refletir sobre os efeitos do colonialismo e da escravidão, com o sujeito da diáspora africana no cerne da abordagem.

Democracia e Liberdade, Luiz Gama (Hedra)
Dois volumes da série de obras completas do principal abolicionista negro brasileiro, organizados por Bruno Rodrigues de Lima. Democracia reúne textos escritos entre 1866 e 1869, já Liberdade compila os do fim da vida do autor, produzidos entre 1880 e 1882. 


DISCOS

Estrada Branca, Mônica Salmaso e José Pedro Gil (Biscoito Fino)
Uma linda ponte entre Brasil e Portugal. Do lado de cá do Atlântico, entram a voz de Mônica Salmaso e as composições de Vinicius de Moraes. Do lado de lá, o instrumentista e cantor José Pedro Gil e o cancioneiro de José Afonso. 

Logo Ali, Bemti (Independente)
De Minas, chega o segundo disco de Bemti. Suas canções não só trazem uma outra dimensão para o som da viola caipira, como lidam com muita delicadeza e elegância com temas que vão desde o universo pastoral até o amor, no caso contemporaneamente queer.

Made Out Sound, Bill Orcutt e Chris Corsano (Palilalia)
Bill Orcutt vem esgarçando a canção com improvisos desde os tempos da mítica banda Harry Pussy. Mas aqui, em um duo com o baterista de jazz Chris Corsano, os improvisos tomam caminhos que se tocam e expandem o universo do jazz de vanguarda.

Flux, Poppy (Sumerian Records)
Flux marca um novo passo na carreira de Poppy, sucesso no YouTube principalmente por conta de seus vídeos de beleza. Diferentemente de seu trabalho anterior, com voz e computador, agora ela lidera uma banda de rock que é ruidosa e angular, mas ainda assim pop.


FILMES

O Homem que Vendeu sua Pele, Kaouther Ben Hania (Cinemas)
Refugiado no Líbano, o jovem sírio Sam Ali (Yahya Mahayni) deixa um artista famoso tatuar suas costas para poder viajar à Europa. O longa foi premiado em Veneza e representou a Tunísia na disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro.

A Ausência que Seremos, Fernando Trueba (Netflix)
Nessa cinebiografia, a vida e o assassinato do médico, professor e defensor dos direitos humanos colombiano Héctor Abad Gómez (Javier Cámara) são contados do ponto de vista de seu filho. Premiado no festivais ibero-americanos Goya e Platino.


SÉRIES

Literatura, Substantivo Feminino, Vanessa de A. Souza (CINEBRASiLTV)
Com estreia no domingo (10), a série discute em 13 episódios o ser mulher na literatura, em aspectos como criação, representação e leitura. Ana Maria Gonçalves, Noemi Jaffe e Conceição Evaristo são algumas das autoras entrevistadas.

Brooklyn Nine-Nine, Dan Goor e Michael Schur (Netflix)
Na sétima e penúltima temporada, os personagens da comédia ambientada em uma unidade da polícia nova-iorquina encaram novos desafios profissionais e pessoais, como a tentativa de Jake (Andy Samberg) e Amy (Melissa Fumero) em terem um bebê.